A pequena Inês, agora com nove anos, foi ontem ouvida pelo tribunal que julga os suspeitos de sequestro e homicídio do pai, o empresário João Paulo Fernandes, cujo cadáver foi dissolvido em ácido e despejado num aterro de Gaia.

Segundo a mãe e especialistas, Inês continua "profundamente traumatizada" e foi obrigada a recordar o rapto violento do progenitor de que é a única testemunha.

IN;JN